Início Locais Muitas podas drásticas em Patos. Meio Ambiente promete intensificar a fiscalização e...

Muitas podas drásticas em Patos. Meio Ambiente promete intensificar a fiscalização e aplicar multas

Foto: Edson Guedes
Fiscal do meio ambiente atuando nas ruas de Patos. (Foto de 2013)
Fiscal do meio ambiente, Edson Guedes, atuando nas ruas de Patos. (Foto de 2013)

O fiscal da Secretaria de Meio Ambiente de Patos, Edson Guedes, vem utilizando as redes sociais para divulgar fotografias de podas drásticas cometidas nas ruas de Patos. Edson tem fiscalizado e aplicado multas em quem comete esse crime ambiental em Patos.

A poda drástica é a poda feita de forma a “pelar” a copa da árvore, deixando a árvore sem sombra, sem flores, sem galhos, e se constitui um crime ambiental passível de multa entre R$ 300,00 e R$ 8.000,00, e ultimamente muitas estão sendo feitas na cidade de Patos, o que requer um trabalho de fiscalização por parte dos órgãos ambientais.

Três fatores levam à poda drástica. O primeiro é o desconhecimento das pessoas em relação a uma poda adequada. O segundo é de ordem econômica, pois a poda feita de forma a pelar a árvore faz com que sua copa demore a crescer novamente e aí o espaço de tempo entre uma poda e outra é maior, ou seja, o proprietário do imóvel que paga pela poda economiza por não ter de ficar podando com frequência. O terceiro motivo envolve mais as casas comerciais: às vezes o proprietário de uma loja, um comércio, tem a fachada do seu estabelecimento encoberta pela copa de uma árvore, e daí, para que o seu letreiro fique visível, ele pede para que os podadores que oferecem seus serviços de porta em porta, façam uma poda radical, prejudicando a árvore e o meio ambiente, mas deixando mais a vista o seu estabelecimento.

Poda drástica
Foto: Edson Guedes

Numa cidade quente como Patos as podas drásticas prejudicam ainda mais à população, uma vez que tiram a sombra e, segundo os engenheiros florestais, sucessivas podas drásticas causam danos às árvores.

A secretária de Meio Ambiente de Patos, Amanda Costa, que é engenheira florestal, disse que a secretaria vai intensificar a fiscalização; e o fiscal Edson Guedes disse que às vezes a melhor forma de educar quem comete crime ambiental é fazendo com que o infrator pague uma multa. “Quando dói no bolso as pessoas aprendem”, disse ele.

 

Poda
Foto: Edson Guedes
Poda
Foto: Edson Guedes

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Folha Patoense

Print Friendly, PDF & Email
Deixe seu comentário!