Início Locais Falta de incentivos fiscais da Prefeitura pode travar construção do Hospital Metropolitano...

Falta de incentivos fiscais da Prefeitura pode travar construção do Hospital Metropolitano de Patos

Um investimento de mais de R$ 50 milhões pode não sair do papel por falta de incentivos fiscais do poder público local da cidade de Patos. A construção do Complexo Médico Hospitalar de Patos, que também compreende um Hospital Metropolitano, está pronta para ser iniciada, porém ainda aguarda uma sinalização de incentivo fiscal por parte da Prefeitura que até agora não avançou nas negociações.

De acordo com o médico Patrício Sarmento, um dos sócios do grupo que quer erguer a obra na Capital do Sertão, as negociações iniciaram ainda na gestão Dinaldo Filho em fevereiro de 2018, porém, com a sua saída do cargo, coube ao prefeito interino Bonifácio Rocha reiniciar todo processo que está parado esperando uma resposta positiva da Prefeitura em termos de viabilização do empreendimento no sentido de oferecer algo que possa fazer o Hospital acontecer.

“Não estamos pedindo nada demais ou ilegal, apenas incentivos fiscais da Prefeitura para que um investimento de mais de R$ 54 milhões possa se concretizar em Patos e gerar mais de 300 empregos diretos”, disse Sarmento.

Ele revelou que todas as etapas iniciais já foram cumpridas, como por exemplo, os serviços de terraplanagem no terreno localizado na Alça Sudeste, aguardando apenas as negociações com o poder público para poder dar prosseguimento a obra. “Sem esse incentivo não será possível, pois o custo ficará muito alto e totalmente inviável”, disse Sarmento.

De acordo com ele, o mesmo estudo foi feito em Sousa e Guarabira, mas pelo resultado mostrado pela empresa especializada nesse tipo de empreendimento,a Capital do Sertão é onde mostrou o melhor local para tal, mas caso a Prefeitura não queira ser parceira, os empreendedores irão optar pelas duas outras cidades.

“Em Sousa o prefeito Fábio Tayrone nos ofereceu um incentivo de 20 anos em isenção de ISS(Imposto Sobre Serviço), mas o grupo ainda prioriza Patos. Este incentivo é viável para o soerguimento da obra”, garantiu ele.

Já em Patos, tanto Dinaldo como Bonifácio pediram um tempo para fazer um estudo e planejamento do que poderia oferecer.

De acordo com Patrício Sarmento, uma reunião com o prefeito afastado Dinaldo Wanderley (PSDB), foi realizada, porém, não houve retorno com relação às propostas de parcerias apresentadas para a construção.

Posteriormente, no dia 20 de agosto de 2018, também aconteceu encontro com o prefeito interino Bonifácio Rocha (PPS), mas, até o momento, também não aconteceu contrapartida às propostas apresentadas ao interino.

O Complexo Médico Hospitalar de Patos ocupará uma área de 10.000 metros quadrados.

 

Vicente Conserva – Portal 40 Graus

Print Friendly, PDF & Email
Deixe seu comentário!