Início Locais Servidores da Saúde de Patos deliberam paralisação e entrada de ações na...

Servidores da Saúde de Patos deliberam paralisação e entrada de ações na Justiça

Em assembleia realizada nesta terça feira, dia 2 de abril, no Auditório da Associação Comercial de Patos, os servidores lotados na secretaria de saúde de Patos discutiram a pauta proposta pelo SINFEMP no tocante ao atraso de salários do mês de março, pagamento de um terço de férias, pagamento do PMAQ, implantação das progressões horizontais e verticais de 583 servidores, desconto do Patos Prev em cima de toda a remuneração.

Os servidores deliberaram que caso a prefeitura não pague o salário de março irão paralisar atividades a partir da próxima segunda feira, dia 8 e se persistir no mês de abril irão paralisar logo no dia seguinte ao do mês trabalhado.

No tocante ao pagamento de um terço de férias, os servidores irão entrar com ações e para isso, nos dias 8, 9 e 10 ( segunda, terça e quarta), todos devem se dirigir ao SINFEMP no horário das 08:00 as 17:00 horas, inclusive a sede não será fechada no horário do almoço, com cópias dos seguintes documentos: CPF, identidade, portaria de nomeação, comprovante de residência, da carteira do SINFEMP, do contracheque de março e da ficha financeira dos últimos 5 anos.

A implantação das progressões horizontais e verticais, o conselho de acompanhamento do PCCS da saúde, se reunirá quarta feira, apreciará os processos e encaminhará a prefeitura para a implantação.

Na avaliação da presidente do SINFEMP, Carminha Soares, hoje a prefeitura deve implantar de imediato 300 progressões, de acordo com o acordo homologado pelo TJPB depois dos 50 dias de greve.

Sobre o não pagamento do PMAQ, por parte da Secretaria de Saúde, caso não seja efetuado o pagamento até o dia 10, no dia seguinte, será feita uma manifestação em frente a sede da Secretaria de Saúde do Município, além do MPF ser provocado da situação para tomar as devidas providências.

Durante a assembleia o SINFEMP tomou conhecimento através dos servidores que o pagamento estava saindo, demonstrando que a luta e a mobilização dos servidores é de fundamental importância para se garantir os salários em dia e outros direitos dos servidores públicos municipais de Patos.

Para o vice-presidente do SINFEMP, José Gonçalves, o atraso de salários se deve, devido ao grande número de contratados e comissionados existente no município. Gonçalves defende que a gestão municipal priorize os 2300 servidores do quadro efetivo e mais os 800 aposentados e pensionistas.

 

Sinfemp.com

Print Friendly, PDF & Email
Deixe seu comentário!