Início Saudades Teixeira se despede de Marzio Araújo, grande incentivador da poesia de viola...

Teixeira se despede de Marzio Araújo, grande incentivador da poesia de viola e do futebol

Marzio participando de jogos de futebol de salão em Teixeira e Marzio Araujo e ao lado de Jonas Bezerra Repentista

A cidade de Teixeira amanheceu de luto nesta sexta-feira, 17, com a morte do motorista e ex-comerciante Marzio Araújo (Galegão), de 40 anos, muito conhecido na cidade. Ele faleceu de infarto por volta da meia-noite.

Deixou viúva a senhora Kamila Dantas, com quem teve dois filhos: Kauã e Kadu. “Meu coração chora de dor, Galegão, meu eterno conselheiro Marzio Araújo. Tantos momentos com você, meu amigo”, postou o comunicador Ardiles Reis em seu perfil pessoal no Facebook.

Ele foi sepultado no final da tarde, em Teixeira.

Marzio era conhecido por sua dedicação ao futebol (era apelidado de “Craque” e se envolvia em diversos eventos esportivos na cidade) e à poesia de viola, da qual ele era grande apreciador. O poeta e produtor cultural Jomaci Dantas, o Lola, comentou a respeito da perda de um grande incentivador da cantoria de repente: “A poesia nordestina perdeu nessa madrugada um dos maiores apologistas do repente. Vítima de infarto fulminante em sua residência o jovem e querido amigo Marzio Araújo Barboza, nos deixou aos 40 anos de idade, na cidade de Teixeira, terra ventre de grandes ícones da cantoria popular. Particularmente tive uma amizade muito próxima com Márcio e guardo dele atos de grandeza humana. Homem de mesa farta, coração humilde e ações estruturantes. Todas as vezes que fui a cidade de Teixeira, sempre tirei dedos de prosa com esse amigo e tantos outros a exemplo de Cláudio de Patinha, Dr. Doró, Santana, Poeta Vinicius, e tantos outros. Marzio parte sozinho, ficando em muitos, e de minha parte estendo um abraço aos seus filhos, sua esposa Kamila e demais familiares, crendo que Deus na sua infinita bondade acolherá seu espírito em pastos verdes e o céu hoje recebe um poeta que não cantou ao som do pinho, mas tocou nas cordas do coração a música que fazia Teixeira mais poética e seus amigos mais humildes e felizes. Um abraço e um beijo em você inesquecível Marzio“.

 

Folha Patoense – folhapatoense@gmail.com

 

 

Print Friendly, PDF & Email
Deixe seu comentário!