Início Cultura Circuito Som nas Pedras reúne mais de 600 pessoas em Princesa Isabel

Circuito Som nas Pedras reúne mais de 600 pessoas em Princesa Isabel

Compartilhe!

Cacimbas de água, ruínas de uma antiga capela, pedras que emitem sons de sinos e plantas exóticas da Caatinga. Esse foi o cenário da quarta etapa do Circuito Som nas Pedras realizada no último sábado (5), em Princesa Isabel.

Distante quatro quilômetros do centro da cidade, a Pedra do Guiné foi o local escolhido para receber mais uma etapa do Circuito. Composto por um complexo de formações rochosas com aproximadamente 24 mil metros quadrados, o local marca a divisa entre os estados da Paraíba e Pernambuco.

Após um pôr do sol de encher os olhos, a programação foi aberta às 18h, com a apresentação da Ave Maria Sertaneja, interpretada pelo tenor Igor Alves e o pianista Josimar do Nascimento. A dupla também emocionou o público com canções de Frank Sinatra e Andrea Bocceli.

No palco montado entre uma frondosa timbaúba e um pequeno espelho d’água, se apresentaram cordelistas, violeiros e músicos da cidade, a exemplo da dupla Antônio Delano e Damião Barbosa. O público também pôde conferir as apresentações dos grupos Sound Clash, Teresa Raquel, Careta Cuia, Raízes e Abolição, que este ano completa 40 anos em atividade.

Ponto alto da programação, a Orquestra do Prima do polo Itaporanga levou 30 estudantes da rede estadual de ensino para executar canções do imaginário nordestino sob a regência do maestro José Márcio. Destaque também para as apresentações do Ponto de Cultura Nova Geração, com um espetáculo de dança dedicado ao centenário de Jackson do Pandeiro, e do Groove da Gota, formado pelos DJs Subzero e Topz S.A, que literalmente extraíram sons das pedras e transformaram em batidas eletrônicas.

O prefeito de Princesa Isabel, Ricardo Pereira, destacou a parceria da prefeitura com o Governo do Estado e ressaltou a importância da interiorização das ações culturais. “Hoje o Circuito Som nas Pedras está quebrando um paradigma, onde eventos culturais como esse aconteciam apenas na Grande João Pessoa. É preciso que, cada vez mais, o Sertão e as cidades pequenas tenham a possibilidade de receber um evento grandioso como o do dia de hoje”, destacou.

Conforme explicou o diretor de cultura do município, Lucinaldo Feitosa, os trabalhos de produção começaram ainda no mês de setembro com a limpeza do local, culminando na montagem da estrutura nos dias que antecederam a realização do evento. “Foi um trabalho exaustivo, mas ver esse público espetacular aqui na Pedra do Guiné me deixa mais entusiasmado para continuar este trabalho”, comemorou.

Já o secretário Executivo de Estado da Cultura, Milton Dornellas, ressaltou que além de promover a circulação artística e o acesso à produção cultural local, o Circuito Som nas Pedras representa a possibilidade de desenvolvimento econômico dos pequenos municípios. “A grande finalidade desse projeto são as pessoas, ou seja, desde quem está se apresentando e assistindo, até quem está comercializando e prestando serviços para que isso tudo aconteça”, explicou.

Foi o caso da comerciante Veronilda Vicente, que ocupou um dos estandes de comercialização disponibilizados pela prefeitura na Pedra do Guiné. No cardápio, o melhor da gastronomia local: angu com guiné, arroz vermelho com galinha de capoeira, milho verde, mungunzá e picolé de frutas da região. Para ela, o público superou as expectativas. “Eu trouxe uma quantidade de comida e veio mais gente do que a gente esperava. Por ser o primeiro ano, foi ótimo!”, comemorou.

Próximas cidades – Após passar pelas cidades de Juru, Matureia, Teixeira e Princesa Isabel, o circuito realizará as próximas etapas nas cidades do Congo (Lajedo da Barriguda – 12 de outubro), Monteiro (Lajedo das Moças – 19 de outubro), Cabaceiras (Lajedo Samambaia – 26 de outubro), Serra Grande (Lajedo da Paixão – 9 de novembro), Queimadas (Pedra do Vento – 16 de novembro) e Boqueirão (Lajedo do Marinho – 23 de novembro).

Sobre o circuito – O Circuito Som nas Pedras é uma realização das prefeituras e conta com a parceria do Governo do Estado, por meio da Secretaria de Estado da Cultura (Secult), Secretaria de Estado da Comunicação Institucional,  Empresa Paraibana de Turismo (PBTur) e a Empresa Paraibana de Comunicação (EPC), através da Rádio Tabajara e do Jornal A União, e o Sebrae.

SECOM

Deixe seu comentário
Print Friendly, PDF & Email
Compartilhe!