Início Política PF pediu a prisão do deputado Wilson Santiago ao ministro do STF...

PF pediu a prisão do deputado Wilson Santiago ao ministro do STF Celso de Mello

Celso de Mello (Foto: Evaristo Sá/AFP) e Wilson Santiago (Foto: Divulgação)

A Superintendência Regional da Polícia Federal da Paraíba pediu a prisão do deputado federal Wilson Santiago ao ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Celso de Mello e a Procuradoria-Geral da União emitiu parecer favorável a prisão. Santiago é acusado de fazer parte de uma organização criminosa que cobrava propina para a realização de obras na prefeitura de Uiraúna, na Região Metropolitana de Cajazeiras.

Os autos do Inquérito estão sob sigilo, mas o Fonte83 conseguiu o pedido de prisão com exclusividade. A última movimentação foi nesta segunda-feira onde consta ‘conclusos ao relator’, o que significa que ele ainda será julgado.

“Não há dúvidas, portanto, que a excepcionalidade do presente caso demonstra ser a prisão preventiva dos envolvidos o único meio eficaz de afastar o risco que a atuação dos investigados representa à preservação dos valores jurídicos protegidos pelo art. 312 do Código de Processo Penal, conforme ressaltado pelo Supremo Tribunal Federal nos autos da mencionada Ação Cautelar”, diz a representação.

Em sua argumentação os delegados da Polícia Federal, Fabiano Emídio e Felipe Alcântara, alegaram que “a Segunda Turma do Supremo Tribunal Federal, nos autos da Ação 134 Cautelar nº 4039 estabeleceu, à unanimidade, o entendimento segundo o qual o óbice constitucional à prisão de parlamentares federais não se reveste de caráter absoluto, consagrando, em síntese, o entendimento de que o estado de flagrância em crime permanente (no caso, o crime previsto no art. 2º da Lei 12.850/2013), aliado à evidente presença dos requisitos cautelares que autorizam a prisão preventiva – e que, por força do art. 324, IV, do Código de Processo Penal, impedem a concessão de fiança – podem conduzir, em situações excepcionais, à decretação da prisão preventiva de Deputados Federais e/ou Senadores da República”.

Fonte83

Print Friendly, PDF & Email
Deixe seu comentário!