Início Saúde Complexo Hospitalar Regional de Patos registra quase 50 mil atendimentos em 2019

Complexo Hospitalar Regional de Patos registra quase 50 mil atendimentos em 2019

O balanço de atividades do Complexo Hospitalar Regional Dep. Janduhy Carneiro de Patos (CHRDJC) relativo ao período do dia 1º de janeiro a 31 de dezembro de 2019, somente no que diz respeito a atendimentos totaliza 49.568 procedimentos, sendo 38.508 de serviços de urgência e emergência e 11.060 de consultas e retornos no ambulatório. Nesse mesmo período, foram realizadas 3.616 cirurgias, 6.594 internações, 49.165 exames laboratoriais e ainda 50.289 exames radiológicos diversos. Esses dados já contabilizam os serviços prestados pelo Hospital do Bem que integra o Complexo com atendimentos na área de Oncologia.

Grande polo receptor de pacientes de mais de 80 municípios da região do sertão paraibano e referência para urgências e emergências em casos de pequena e média complexidade o hospital, que integra a rede estadual de saúde, registrou como principais motivos de atendimento nos plantões de urgência e emergência, ao longo do ano, lesões oriundas de quedas, casos de hipertensão, acidentes de trânsito (a maior parte envolvendo motos), dores abdominais, de cabeça e no peito, além de casos de insuficiência respiratória e contusões diversas.

De acordo com o relatório de gestão, em relação aos exames radiológicos, o maior número de registros foi de Raio X, com 26.227 casos, seguido de tomografias, com 15.899 exames, os exames de ultrassom e ecocardiograma totalizam 6.580 procedimentos. O Centro de Imagem da unidade registrou ainda a realização de 829 endoscopias, 620 colposcopias, 87 colonoscopia e 36 ressonâncias magnéticas, além de 10 cintilografias.

De acordo com a diretora geral da unidade, Liliane Sena, o relatório de gestão dos serviços realizados ano passado mostra que as causas de atendimento na emergência não se modificaram muito e que a unidade teve um aumento significativo de demanda. “Observamos, comparando os resultados com anos anteriores, que as maiores causas de procura pelos nossos serviços não se alteram, sendo as quedas, os acidentes e dores diversas as maiores demandas de nossa porta de entrada”, ressalta a diretora. Ela lembra que, atualmente, não há filas para realização de cirurgias e que apesar da unidade dispor somente de seis leitos de UTI, o Hospital tem conseguido realizar os procedimentos cirúrgicos sem muita demora para os pacientes.

Complexo realizou 3.616 cirurgias em 2019

O balanço de atividades do Complexo somente no que diz respeito à realização de cirurgias, contabiliza que a unidade realizou um total de 3.616 procedimentos. Destes, a maior parte foram de cirurgias ortopédicas, com um total de 1.673 ocorrências, seguidas de cirurgia geral, com 820 casos. As cirurgias oncológicas ficam na terceira posição, com um total de 534 procedimentos, em função dos procedimentos do Hospital do Bem serem realizados também no bloco cirúrgico na unidade. As cirurgias vasculares contabilizaram 341 casos.

As cirurgias gerais, a exemplo de casos de apendicite, hérnias, abdômen agudo e de tiros e facadas, entre outros, totalizaram 820 procedimentos, e foram responsáveis pela segunda maior demanda de cirurgias do Complexo ao longo de 2019. As cirurgias de otorrino totalizaram 22 procedimentos, de urologia foram 20 casos, enquanto que houve nove casos de cirurgias plásticas reparadoras.

A diretora geral da unidade, Liliane Sena, ressalta que o relatório de gestão chama atenção para o alto número de cirurgias provenientes de acidentes, principalmente, de motos. “A grande demanda de cirurgias ortopédicas, que responde por quase 50% do total de cirurgias realizadas na nossa unidade, acende uma luz amarela sobre a questão dos perigos no trânsito e a importância de se evitar acidentes que, na maior parte dos casos, deixa sequelas nas vítimas para o resto da vida”, reforça Liliane.

Assessoria

Print Friendly, PDF & Email
Deixe seu comentário!