Início Locais Corpos são levados do hospital para o cemitério, em Patos, e famílias...

Corpos são levados do hospital para o cemitério, em Patos, e famílias denunciam a falta de coveiro na parte da noite

Por força do decreto municipal e seguindo as orientações das autoridades de saúde, não está acontecendo velórios dos mortos por coronavírus em Patos ou casos suspeitos em Patos. Mesmo os óbitos por outros doenças ou causas, o velório se dá por pouco tempo, para se evitar aglomerações.

Por conta disso tem sido frequente as denúncias das famílias em relação a ausência de coveiros na parte da noite nos cemitérios de Patos. Como os corpos são levados diretamente do hospital para o cemitério, tem sido uma dificuldade para as famílias conseguirem uma cova para o sepultamento de seus entes queridos.

Muitos dos sepultamento estão acontecendo à noite e a imprensa já noticiou casos em que a própria família teve que cavar a cova e em outros casos teve que pagar para que alguém realizasse o serviços. São críticas constantes, divulgadas mais de uma vez pela imprensa e até agora a Prefeitura Municipal de Patos não tomou nenhum atitude.

Na tarde desta terça-feira, 12, faleceu no Complexo Hospitalar Regional Patoense, vítima de complicações da Covid-19, o aposentando José Feitosa Nunes, mais conhecido por Careca Calçados, de 80 anos, residente na Rua do Prado, em Patos; e seu sobrinho Vilmar Severo, radialista, gravou um vídeo em frente ao cemitério São Miguel, no Belo Horizonte, no começo da noite, denunciando a situação.

Veja:

 

Folha Patoense – folhapatoense@gmail.com

 

 

 

Print Friendly, PDF & Email
Deixe seu comentário!