Início Gerais Manaus registra nova onda de Covid-19 e Governo decreta lockdown na cidade

Manaus registra nova onda de Covid-19 e Governo decreta lockdown na cidade

Cemitério em Manaus (Foto: Rebeca Beatriz/G1 AM)

Quatro meses após flexibilização, Amazonas volta a adotar restrições contra Covid-19. O Governo do Estado da Amazônia determinou, desde a sexta-feira (25), o fechamento de bares e casas noturnas após constatação de aumento de infecções. Conforme o decreto, ficam suspensos em Manaus, até o dia 26 de outubro, o acesso às áreas de praias para recreação, o funcionamento de balneários e flutuantes, além de bares e restaurantes.

Manaus tem 49.237 pessoas infectadas e 2.487 mortes pelo novo coronavírus desde o início da pandemia e começou a flexibilizar o isolamento social em junho, quando houve uma redução dos casos. A capital foi a primeira capital a registrar colapso no sistema de saúde e funerário, entre abril e maio.

De acordo com o governo, a Vigilância Epidemiológica do estado confirma tendência de aumento de casos de Covid-19 nas últimas semanas devido, principalmente, a aglomerações e a realização de festas clandestinas.

Em média, o Amazonas confirmou 7 novas mortes por dia na última semana – uma variação de 6% em relação à média de 14 dias antes.

Em razão da situação, o Governo voltou a decretar o fechamento de bares e balneários, que haviam sido autorizados a reabrir em julho. Entre outras medidas determinadas está a redução no horário de funcionamento de restaurantes e lojas de conveniência, até as 22h. As restrições valem por 30 dias.

Também foi anunciado aumento do número de leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) ofertados no Hospital Delphina Aziz, referência no tratamento de Covid-19 e outras Síndromes Respiratórias Agudas Graves (SRAGs). O Instituto de Saúde da Criança do Amazonas (Icam) foi definido como referência para o atendimento infantil da doença.

Até esta sexta-feira (25), 323 pacientes estavam internados em Manaus, sendo 212 em leitos clínicos (86 na rede privada e 126 na rede pública), 107 em UTI (47 na rede privada e 60 na rede pública).

A taxa de ocupação na rede privada é de 70,93% em leitos de UTI e 42,81% em leitos clínicos. Já na rede pública, a ocupação de leitos UTI chega 72,53% e 68,49% em leitos clínicos.

ClickPB com G1 AM

Print Friendly, PDF & Email
Deixe seu comentário!