Início Política Ramonilson denúncia à PF, MP e Justiça Eleitoral crime eleitoral praticado por...

Ramonilson denúncia à PF, MP e Justiça Eleitoral crime eleitoral praticado por líder comunitária; Mulher emite nota

O Juiz Ramonilson informou que foi até a sede da delegacia da Polícia Federal, em Patos, para prestar notícia-crime após o vazamento de um áudio onde uma líder comunitária supostamente pede votos para o candidato a prefeito de Patos pela coligação Patos Competente, Nabor Wanderley, em troca de supostas doações de imóveis no Conjunto Habitacional São Judas Tadeu que deverá ser ainda construídos na cidade.

De acordo com o Juiz Ramonilson, a prática criminosa já foi comunicada ao Ministério Público e a Justiça Eleitoral.

No áudio, a líder comunitária afirma que, “essas não vão ser, essas casas não vai ser sorteio  e sim, agente vai se organizar ‘pra duar’ sem precisar de sorteio’, garantiu. Para agravar ainda mais a situação ela faz uma apologia ao apoio que dar aos seus candidatos: “então quem seguir comigo terá suas casas. Como eu sou uma ‘lutadeira’ já, a muito tempo das casas, então…”, na coclusão ela fala do aval que teve dos dois candidatos citados na denúncia.

Em nota, líder comunitária faz esclarecimentos sobre áudio enviado no WhatsApp

Na manhã desta sexta-feira, 30 de outubro, a líder comunitária e presidente da associação de moradores do bairro do Monte Castelo, Edilma Lourenço, enviou a imprensa nota de esclarecimento dando algumas explicações com relação ao áudio enviado em grupos da rede social WhatsApp.

De acordo com Edilma Lourenço, que em nenhum momento teve a intenção de insinuar de que quem votar no candidato a prefeito Nabor Wanderley será beneficiado com uma casa em conjunto habitacional e que nenhum momento foi autorizado e solicitado à realização de acordos com eleitores em troca de votos.

A líder comunitária ainda falou que não teve nenhum contato com o candidato da coligação Patos Competente, encabeçada por Nabor Wanderley, com intuito de fazer acordo com posturas antidemocratas e que nenhum candidato a procurou para fazer negociações sobre moradias no Monte Castelo ou em qualquer outro conjunto habitacional.

Leia nota em anexo:

Print Friendly, PDF & Email
Deixe seu comentário!