Início Economia Bolsa despenca 4,87% e dólar sobe com temor de interferência na Petrobras

Bolsa despenca 4,87% e dólar sobe com temor de interferência na Petrobras

Indicação de Bolsonaro de novo presidente da Petrobras provoca queda nas ações da estatal (Imagem: Isac Nóbrega/PR)

O dólar comercial fechou hoje (22) em alta de 1,27% ante o real, cotado a R$ 5,454 na venda, após a indicação do general Joaquim Silva e Luna para assumir os cargos de conselheiro e presidente da Petrobras feita pelo presidente Jair Bolsonaro (sem partido) na sexta-feira (19) a noite afetou os mercados.

O valor do dólar divulgado diariamente pela imprensa, inclusive o UOL, refere-se ao dólar comercial. Para quem vai viajar e precisa comprar moeda em corretoras de câmbio, o valor é bem mais alto.

Hoje (22), o dólar chegou a subir cerca de 2,79%, mas desacelerou após o Banco Central (BC) atuar para segurar o câmbio. Na sexta-feira (19), dia do último pregão, a moeda norte-americana fechou em queda de 1,02%, vendido a R$ 5,385.

As preocupações em relação a uma intervenção do governo na Petrobras também geram impactos na Bolsa e no dólar. Bolsonaro anunciou na sexta-feira que o governo decidiu indicar Silva e Luna para assumir os cargos após o encerramento do mandato do atual CEO da companhia, Roberto Castello Branco.

Veja a matéria completa no UOL.

UOL

Print Friendly, PDF & Email
Deixe seu comentário!