Início Locais 4ª Trilha e Rapel na Serra dos Buzinas, em São Mamede, destaca...

4ª Trilha e Rapel na Serra dos Buzinas, em São Mamede, destaca o turismo rural

A quarta edição da Trilha e Rapel na Serra dos Buzinas aconteceu no último domingo, 28 de fevereiro, e seguiu os protocolos sanitários recomendados pelos órgãos de saúde, tendo em vista à pandemia do novo coronavírus: uso obrigatório de máscaras, higienização das mãos com álcool gel e o distanciamento seguro para evitar aglomerações.

O evento passou por mudanças de datas devido à nova onda de casos e de variantes de covid-19 registrados na Paraíba, bem como pela classificação da bandeira vermelha para o município de São Mamede. No entanto, em 23 de fevereiro, o Governo do Estado divulgou novo decreto nº 17.308 permitindo a volta das atividades esportivas, inclusive para os municípios com bandeiras laranja ou vermelha.

Desde a sua primeira edição, em 2018, o evento vem sendo organizado pelo personal Alan Medeiros que é neto de Birino Buzina (in memoriam), um dos herdeiros da propriedade, falecido em janeiro do ano passado. Por esse motivo, o personal dedicou essa quarta edição ao seu avô:

“Eu queria deixar registrado a homenagem ao meu avô que faleceu ano passado, assim que a gente terminou a terceira trilha. E essa quarta trilha é em homenagem a ele”.

A Prefeitura de São Mamede mantém seu apoio ao evento por meio das secretarias de turismo e meio ambiente, de cultura e artes, de infraestrutura e da saúde. E da diretoria de comunicação com a equipe de mídia, responsável pelas principais fotos e vídeos de divulgação.

“Agradeço o apoio do prefeito Jefferson e de todos vocês que fazem o nosso evento ganhar maior visibilidade. Agradeço em especial aos aventureiros e aos demais patrocinadores por valorizarem a prática do esporte radical”, ressaltou Alan.

A serra fica localizada na área rural do Município, mais precisamente no sítio Olho D’água, na região chamada de Campo de Cruz. Lembrando que o sítio Olho D’água pertence à família Medeiros que é mais conhecida por “família Buzina”.

O ponto forte da trilha é o destaque para o turismo rural. Com três paradas, sendo a primeira na casa de apoio construída, como o próprio nome diz, para dar apoio aos transeuntes e caçadores. Devido à pandemia do novo coronavírus, o acesso está limitado para a família e trabalhadores da propriedade.

Já a segunda parada ocorre na casa de pedra, com formação de rochas que a natureza se encarregou de edificar. “O desejo da gente é levar um pouco disso tudo para as nossas vidas e mostrar que o sertão é lindo, só precisa ser mais valorizado”, comentou Edilene Henrique, agente de crédito em Patos-PB.

Última parada, no topo da serra, onde os participantes descansam, apreciam ainda mais as belezas que envolvem a serra e fazem seus registros em fotos, selfs e vídeos. Do alto se avista cinco cidades circunvizinhas: Santa Luzia, Várzea, Patos, Ipueira-RN e, claro, São Mamede.

Ainda no topo da serra, avistam-se o pico do Yayu de Santa Luzia, a serra da Mandioca na região local do sítio Gatos e a serra da Viola no município de Várzea. A vegetação da Caatinga, tipicamente do sertão nordestino, está revestida de verde, com as últimas chuvas caídas na região, deixando o lugar cheio de vida e ainda mais exótico.

O rapel é um esporte radical, mas segundo Alan é possível praticá-lo mesmo com pouca experiência nas aventuras da vida rural. De modo que o evento conta com uma equipe especializada nessa modalidade desportiva, além dos bombeiros civis que oferecem as orientações de segurança a todos os participantes.

Por fim, do pé da serra até chegar ao topo contam-se aproximadamente 3,5 km (três quilômetros e meio). Apesar de um trecho pequeno, tanto a subida quanto a descida exigem muito esforço físico e vontade de vencer desafios.

ASCOM

Print Friendly, PDF & Email
Deixe seu comentário!