Início Saúde Diretor técnico do Hospital de Patos, doutor Pedro Augusto, orienta população sobre...

Diretor técnico do Hospital de Patos, doutor Pedro Augusto, orienta população sobre tempo necessário de isolamento em tempos de pandemia

Dr. Pedro Augusto, diretor técnico do Complexo de Patos, orienta como proceder
Compartilhe!

Há muitas informações desencontradas e até fake news circulando por rede social sobre aspectos que dizem respeito à pandemia, inclusive, sobre como adotar uma postura correta em relação ao tempo de isolamento quando a pessoa identifica que foi contaminada pelo vírus da Covid ou mesmo da Influenza. O diretor técnico do Complexo Hospitalar Regional Deputado Janduhy Carneiro de Patos (CHRDJC), Dr. Pedro Augusto que, entre março de 2020 e dezembro de 2021, coordenou o setor Covid da unidade, esclarece neste texto algumas questões sobre o tempo necessário para isolamento e cuidados que as pessoas devem ter para evitar a disseminação destas doenças.

Segundo o médico, a variante Ômicron do coronavírus é responsável hoje, segundo estudos, por 98% dos casos de Covid no Brasil. “Essa variante tem uma transmissibilidade maior, porém, tem um tempo de transmissão menor, ou seja, ela é mais transmissível, se propaga mais rápido, mas, o tempo da pessoa doente transmitir o vírus é menor”, explica Dr. Pedro, complementando que, a partir desta constatação, a orientação é a seguinte: Se a pessoa fez o Swab e positivou e está assintomático, essa pessoa deve permanecer isolada, a partir do momento da confirmação do Swab, por mais cinco dias”, diz ele, complementando que isso se faz necessário porque não se sabe o tempo da contaminação, já que ela está assintomática.

No caso das pessoas sintomáticas, aquelas que apresentam sinais da doença, se orienta para aumentar um pouco mais o tempo de isolamento, indo de sete a dez dias. Segundo o médico, o que vai determinar a quantidade de dias, neste caso, é o resultado de um novo Swab. “Com sete dias, a pessoa deve se submeter a novo teste para identificar se ainda transmite a doença ou não, voltando ou ainda permanecendo em isolamento de acordo com o resultado do exame”, reitera Dr. Pedro.

Ainda segundo ele, em ambos os casos e quando se teve contato com alguém que positivou, mesmo assintomático, é necessário se manter em isolamento preventivo pois, desta forma, se evita a proliferação do vírus. “O uso de máscaras, a higienização frequente das mãos, evitar aglomerações são outros cuidados fundamentais na atual conjuntura de aumento de casos de síndrome respiratória, seja pelo coronavírus ou a Influenza, para se evitar ainda mais casos destas doenças”, alerta Dr. Pedro.

Assessoria

Deixe seu comentário
Print Friendly, PDF & Email
Compartilhe!