Início Saúde Pequena Daisha é vacinada contra a Covid-19 em Santa Terezinha e a...

Pequena Daisha é vacinada contra a Covid-19 em Santa Terezinha e a mãe reforça a importância da vacinação de crianças

Compartilhe!

Foi iniciada a vacinação contra a Covid-19 para as crianças com comorbidades e deficiência permanente entre as idades de cinco anos a onze anos.

A pequena Daisha Maria Vitória Bezerra Oliveira (7), que tem paralisia cerebral, natural de Santa Terezinha, na Região Metropolitana de Patos, foi vacinada nessa quarta-feira (26). Os seus pais Bel Bezerra e Damião de Pedro Zeca levaram a criança até uma unidade de saúde para ser imunizada. Uma profissional de saúde foi até o carro e realizou o procedimento.

Bel Bezerra relatou que algumas mães perguntaram se eles iriam vacinar a filha. Ela relata que sempre foi a favor da vacinação e vacinar os filhos é um ato de amor e de cuidado.

“Desde quando chegou nossa vez de vacinar eu vinha pedindo a Deus que chegasse logo o momento de vacinar a nossa filha, porque eu seria egoísta, me proteger e não proteger minhas filhas, por medo ou por conta de tanta fake news. É óbvio que temos medo por causa principalmente da epilepsia dela, mas nesse caso, não teve nenhuma contra indicação, é tanto que a pediatra dela quanto a neurologista dela são super a favor da vacinação. E confio muito nelas. Enfim, chegou a hora de vacinar, e sou grata a Deus por isso, e grata aos cientistas, e ao SUS por proteger nossas crianças especiais. Vacinar os nossos filhos é um ato de amor e de cuidado”, destacou.

Sobre Daisha

Ela nasceu em 20 de março de 2014, no Hospital São Francisco, mas, foi transferida para a Maternidade Dr. Peregrino Filho, casas de saúde, situadas na cidade de Patos. Devido às suas plaquetas estarem baixas, foi transferida para a Maternidade Cândida Vargas, em João Pessoa, passando sete dias internada, sendo quatro dias na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) e três dias na enfermaria. Após a sua melhora a pequena Daisha retornou com os seus pais para Santa Terezinha. O diagnóstico dela afirmou que a mocinha tinha encefalopatia crônica ou paralisia cerebral, uma lesão permanente e não progressiva do sistema nervoso em desenvolvimento que afeta o tônus, os reflexos e as posturas, comprometendo o desenvolvimento motor de um ser humano.

A sua rotina todo mês é ser acompanhada por um fonoaudiólogo, fisioterapeuta, neurologista, neuro cirurgião, ortopedista, reumatologista, alergologista, endocrinologista, cirurgião, gastroenterologista, otorrinolaringologista, dermatologista e oftalmologista. Ela faz fisioterapia cinco dias por semana, sendo duas vezes por um profissional da Secretaria Municipal de Saúde de Santa Terezinha e três vezes em uma clínica particular. Ela vai duas vezes por semana ao fonoaudiólogo e faz Terapia Ocupacional uma vez por semana.

Arquivo pessoal

Josley Oliveira – Portal Santa Teresinha

Deixe seu comentário
Print Friendly, PDF & Email
Compartilhe!