Compartilhe!

Diante das constantes ameaças à democracia e às eleições, contra a fome, o ódio, o desemprego e a corrupção, lutadores sociais estão realizando ato público neste sábado, dia 16 de julho, às 08h, na Praça Cícero Supino, ao lado do Guedes Supermercado, centro de Patos.

O ato atende ao chamado nacional que está denunciando as tentativas de golpe militar que vem sendo orquestradas pelo presidente Bolsonaro e conta com vários generais que estão dentro do Governo Federal, muitos deles com salários que ultrapassam os 300 mil reais. Diariamente, Bolsonaro questiona a segurança das urnas eletrônicas e cria animosidade entre o poder executivo e o judiciário (STF e TSE).

Além da carestia, do retorno da inflação e da perda do poder de compra do salário mínimo, o Governo Federal tem escancarado a corrupção institucional e persegue delegados federais que investigam denúncias. 2o delegados já foram afastados ao investigar denúncias contra o Governo; o “orçamento secreto” mostrou a compra de deputados federais para garantir pautas contra o povo e os trabalhadores.

Vários lutadores sociais defendem que o povo deve se manter mobilizado, apesar da política de ódio e das ameaças dos seguidores do presidente. “Bolsonaro não será derrotado facilmente! A base de sustentação desse governo é perigosa e não irá querer largar o poder e as benesses que hoje se tem! A corrupção é gigantesca e a democracia está em ameaça; o povo brasileiro é vítima de um governo desastroso e mau”, destacou Emanuel Escarião, presidente da UP/Patos.

O vereador sindicalista José Gonçalves (PT) reafirmou a necessidade de lutar e despertar a sociedade diante das maldades permanentes do Governo Federal. O vereador patoense disse que os atos devem ser incentivados para garantir a democracia que foi conquistada com muito sacrifício.

Polêmica Patos

Deixe seu comentário