Início A Implosão Político-Econômica Brasileira

A Implosão Político-Econômica Brasileira

Imagem: tardecommaria.com.br

Não tem jeito. É negócio pra enlouquecer qualquer brasileiro.

Procuramos nos isolar, nos esquecer, nos afastar, tornarmos indiferentes e imunes, só querer distância das mazelas com as quais os políticos e empresários brasileiros estraçalharam econômica e politicamente o Brasil, mas, infelizmente, é-nos uma tarefa difícil. O Brasil é nosso, é a nossa casa, e não podemos deixa-lo se esbandalhar ladeira abaixo, só pelo comportamento enviesado, marginalizado e exterminador daqueles que nós mesmos colocamos lá no Congresso Nacional, para nos representar.

Todos os meses, todas as semanas, todos os dias, a todo instante assistimos, através, principalmente, dos canais de televisão e dos jornais mais uma cena deplorável, mais um absurdo, mais uma traquinagem, mais uma malandragem, mais uma safadeza, mais uma falcatrua, mais uma seboseira feita com o dinheiro que seria aplicado para melhorar a já difícil situação na qual vivem os cidadãos brasileiros, mas tudo orquestrado de forma gananciosa por políticos que nem imaginávamos que estivessem metido nessa bandalheira. A “coisa” é quase generalizada, mesmo.

Levaram tudo! Alguns empresários, através de falcatruas, tornaram-se riquíssimos e, hoje, são reconhecidos no mundo inteiro como tal, com seus nomes estampados em revistas que os relacionam como os bilionários do Brasil. A imprensa estrangeira nem sabia de onde vinha tanta riqueza.

Charge do blog elainegaspareto.com

Enquanto, aqui, falta dinheiro pra tudo! Recursos que serviriam para melhorar o salário dos nossos policiais que arriscam suas vidas para salvar a vida e o patrimônio do cidadão brasileiro de um enxame de marginais, melhorar o atendimento nos hospitais públicos, nos postos de saúde, cuidados com a saúde da população, para melhorar a moradia, para melhorar o salário dos que ganham pouco e não dispõem de dinheiro nem para comprar um prato comida. Dinheiro que seria empregado para tornar toleráveis os meios de transporte de passageiros ou para pagar um simples medicamento numa farmácia.

Só para citar um exemplo, hoje, nos hospitais públicos, quando se encontra uma aspirina, uma seringa ou uma agulha para a um paciente, coisas básicas, fazem uma festa! Mas existem hospitais públicos que nem isso é encontrado nos seus estoques! Só encontramos médicos desesperados! Médicos com as mãos na cabeça para não perderem o juízo, sem saber o que fazer para salvar a vida dos seus pacientes.

Todos nós brasileiros, ou seja, a sociedade, o cidadão, o povo brasileiro tem de dar uma basta nisso tudo, nem que seja através das urnas. Se não formos nós, quem será?

Quando foi para criar mais sindicatos no Brasil, criaram logo 17 mil sindicatos! Enquanto num país além de sério, desenvolvido, como a França existem dezesseis 16 sindicatos!!! Então, se criaram sindicatos em excesso, é porque, quem os criou, não estava pensando em coisa boa! Durante um bom tempo fundaram vários partidos políticos no Brasil. Quantos partidos políticos existem nos Estados Unidos?! Dois: o Partido Democrático e o Partido Republicano! Se criaram 24 partidos políticos, é porque, também, não estavam pensando em coisa boa! Políticos brasileiros sérios chamam estes partidos de “nanicos” e “partidos de aluguel”. Nanico, porque não representam nada; de aluguel, por motivos óbvios. A alcunha já diz tudo! Por isso estão tentando (a contragosto deles próprios) fazer uma reforma política.

O problema brasileiro é que a maioria dos políticos só pensa nela. Podem afirmar mil vezes eloquentemente que trabalham para o país, pelo povo, mas não tem como entendermos nem considerarmos assim.

Está muito difícil! E tudo vai se complicando mais. Deus queira que nossa previsão esteja errada!

O que vemos, ou ficamos sabendo, é que, poucos enchem os bolsos de dinheiro, tornam-se milionários, e que muitos brasileiros apenas sobrevivem. O quê isso gera? A desigualdade social! O aumento da violência urbana!

Lá se foram o BNDES e outras Instituições Financeiras Públicas, além da Petrobras! Foram usados tanto e de forma tão inadequada, que não sobrou nada para quem tinha o direito de fazer empréstimos ou usufruir. Agora, pergunto: Como explicar tanto dinheiro nas mãos de políticos quadrilheiros, ante o povo sofrido do Nordeste?! Ninguém (eu disse: ninguém!) que entrou para a política, está passando por dificuldade. Uns honestos! É verdade. Outros nem tanto! Ao contrário do povo brasileiro que, de uma forma geral, passa por necessidades! Tanto o político desonesto como os seus familiares estão com a vida que pediram a Deus. Para onde foram os discursos cheios de boas ideias, de ética, de moral e de salvação para o povo Nordestino?! Ah! Discursos assim, só na época de campanha eleitoral! Depois, salve-se quem puder.

A cada dia, surge mais uma presepada política pior que a anterior. E é porque políticos recebem salários astronômicos para não fazerem nada. A maioria! Aliás, fazem: praticam falcatruas intermináveis para melhorarem, ainda mais, seus ganhos. Discutirem inutilidades ou matérias que só lhes beneficiam. A mídia acrescentou: Políticos Bandoleiros! É pouco!

Para que tenham ideia, os políticos estão discutindo, nas comissões, assuntos relacionados à crise política, ao invés de tratarem e aprovarem assuntos econômicos. Para utilizar um termo da moda, parece que, intimamente, eles dizem: a crise econômica que vá “às favas”.

Eu digo que os assaltantes que se passavam por políticos que nós colocamos lá Brasília, se complicaram um pouquinho, mas não se acabaram, porque dizem que “vaso ruim não se quebra”.

Estes políticos sempre viveram do dinheiro dos outros. São políticos que vivem à custa do Estado, e descobriram também que certos empresários eram passíveis de participarem dessa mesma anomalia político-econômica. Se não existissem empresários inescrupulosos, um BNDES, uma PETROBRAS, uma Caixa Econômica e os Bancos Rurais tão frágeis administrativamente, talvez estes políticos se comportassem, pelo menos, mais adequadamente ou não tivessem tanto interesse para entrar na política. É um toma-lá-dá-cá intermináveis; uma simbiose maléfica! Daí o fascínio deles por ela. Conseguiram, sem muito “esforço” falir os bancos e a instituições. Políticos e empresários faliram o Brasil! Quebraram o país! Políticos também tomaram os estados e os municípios, e conseguiram quebra-los, também. Traquinaram tanto nessa crise político-econômica que geraram a maior perda de PIB per capta do país nos últimos 120 anos, segundo o economista Samuel Pessoa.

Muitos destes políticos vivem à custa do Estado! Além de fazerem o que fizeram, acham pouco e se aposentam com duas ou mais aposentadorias, com idades muito aquém dos 60 anos de idade. Aposentadorias totalmente imorais. Já o cidadão brasileiro se aposenta como eles querem. Como são políticos, eles podem tudo. Eles próprios determinaram como tudo será.

Graças ao Juiz Sérgio Moro, este canal se fechou (não totalmente) para eles. Sem a Petrobras (quebrada), as outras Estatais, o BNDES, o Ministério da Previdência, o Ministério da Agricultura e o Ministério da Educação, eles ficaram um pouco órfãos. Não tem mais quem os sustente. Será?! Muitos deles dão nó em pingo d’água; é bom lembrar. O governo federal começou a bloquear o envio de verbas para a Polícia Federal. Já está faltando verbas! Verbas para Passaportes?! Nem vê! Começa por aí.

Voltemos.

Como estes políticos irão se “sustentar” daqui pra frente com as Estatais quebradas?!

Como se defenderão aqueles que deixaram o povo na pindaíba, aqueles que pintaram e bordaram aqueles que deixaram o país na lona?! Estas frases deles são: “Não querem me deixar ser candidato”. “Não querem deixar o eleitor votar!” “Eu não recebi um tostão além do que a lei permite!” “Eu não sei de nada!” “Desconheço!”. : “Não foi comigo”. “Não sei de nada disso”. “São inverdades”. “Sempre atuei na legalidade”. “Isso não me pertence, apenas uso”. Essa é a conversinha que estaremos ouvindo, e vamos ouvir até as próximas eleições. Empresários e políticos quebraram o país! O dinheiro sumiu! Ninguém sabe do paradeiro dele! O Rio de Janeiro está um caos. Lá também existem vários políticos e empresários envolvidos em delinquências inacreditáveis. Foi-se a Cidade Maravilhosa!

O que vemos é uma ansiedade por novas lideranças políticas para que estas que aí estão fiquem impedidas de voltarem à vida pública ou voltem a nos representar. Estas lideranças, praticamente, induziram a implosão da República com a denúncia de 8 ministros, 12 governadores, 24 senadores, 37 deputados e 5 ex-presidentes. Será possível um negócio dessa envergadura?! No Brasil, é!

Eles dizem: “O problema é que quando a gente conta uma mentira, passa a vida inteira mentindo para explicar ou justificar a primeira mentira”. Eles devem saber onde estão pisando! O terreno é deles.

Nenhum brasileiro (ninguém mesmo) pode sobreviver ileso aos estilhaços dessa bomba de nêutrons que implodem, mas todos parecem sobreviver. Por enquanto. Implodiram todo o modelo político e a já frágil economia brasileira. É o decantado “efeito dominó”.

A Justiça brasileira não pode sentir pena desses malfeitores. Parece até que estes políticos enlouqueceram!

A revista Veja relata que até a Abin (Agência Brasileira de Inteligência) entrou no meio da crise política, por ordem do presidente, para investigar a vida do ministro-relator da Operação Lava Jato! A intenção era retira-lo da Operação. É ilegal um presidente acionar a Abin (órgão de segurança nacional) para investigar um desafeto, porque fere o Artigo 37 da Constituição.

Ficamos preocupados quando a revista Veja (14/06/2017), numa das suas reportagens sobre este assunto, diz que “o Judiciário julga, não conforme a lei, mas conforme a cara do réu”. Aí, fica difícil!

Estamos assistindo a um filme de terror! É para o brasileiro amargar o desemprego, os altos impostos (aumentados ainda mais, recentemente), os serviços públicos (de uma forma geral) funcionando precariamente e ainda se deparar com uma crise política. É a que atrapalha mais, porque é de cunho interesseiro.

Interessante é que não existem só brigas por cargos: existiam brigas por cargos e por orçamentos gordíssimos! Os crimes recaem sobre políticos do PMDB, PSDB, PT, DEM, PP, PSD, PSB, SD, PR, PRB, PPS, PC do B, PTC, PTB. É para isso que serve a criação de mais e mais partidos políticos! Quanto mais partidos políticos, maior será a farra! São, por baixo, 14 partidos políticos envolvidos! Basta um deputado ou senador discordar de outro, para um deles abandonar o partido e fundar outro. Fácil assim!

Brasília treme! O Brasil estremece! Crescem a repulsa, a podridão, o nojo de uma montanha de estrume composta por empresários, deputados, senadores, governadores, ex-presidentes, ministros e auxiliares de políticos. Um forte odor que se espalha pelo país! Insuportável para o olfato e para os pulmões de qualquer cristão. Quase todos os políticos se lambuzaram nas negociatas, na compra e troca de favores, nos mensalões, nos petrolões. Deu no que deu! Isso tudo é o saldo do populismo pregado pelos que se apresentavam para defender o povo. Tudo mentira! O que resta do país?! O danado é que os que assaltaram o que restava da riqueza nacional continuam negando tudo! Cinicamente! Como não poderia ser de outra forma em se tratando de quem já sabemos. Ainda surgiram agremiações dando guarida à gatunagem generalizada. O dinheiro sumiu do nada! Até agora, como saiu na mídia: prenderam apenas os “mordomos”.

Uma última pergunta sobre esta bandalheira: Por que os denunciados, os envolvidos nesta seboseira toda querem reduzir as ações, e até extinguir a Operação Lava Jato que, sob o comando dos Procuradores Federais e do juiz federal de Curitiba Sérgio Moro, está querendo que o Brasil ressurja das cinzas?! Se os quadrilheiros agem dessa forma, é porque estão atolados da sola dos pés ao vértice da calota craniana. Portanto, louvemos o trabalho dos Procuradores Federais, do Juiz Sérgio Moro e da Polícia Federal que têm agido de forma isenta e rigorosa em todas as operações, porque o caso é de polícia, mesmo. Refutamos todos os que se posicionam contra a ação desses órgãos.

A revista Veja traz reportagem sobre o ministro-relator da Lava Jato, onde ele diz: “Não se pode demonizar a política! As Instituições estão funcionando normalmente!” Esta “política” que está aí, senhor ministro, não é política! É outra coisa. As Instituições estão funcionando normalmente?! Onde? 

Ultimamente, até o presidente da república foi indiciado pela PGR! A situação do Brasil se complica a cada dia.

Procuro finalizar este texto.

Mas surge o “grande” Joesley Batista, dono da JBS (JeF), falando aos gravadores e fazendo suas delações premiadas. Depois, tranquilamente, pega o seu próprio avião e se manda, leve e solto, com a família para os Estados Unidos. Acontecimentos estranhos.

Dizem que existe uma estratégia para isso tudo.

Segundo informações colhidas (SIC), a delação premiada deste empresário (Joesley) foi feita porque ele estava preocupado com a Justiça. Claro! Dizem que a JBS é a maior parceira de um partido político que, até bem pouco tempo, esteve no poder, pois foi no governo deste ex-presidente que os irmãos Batista, com o dinheiro do BNDES, transformaram a JBS maior empresa do mundo em seu ramo de negócios (produção de proteína animal). Daí percebe-se que existe o desenrolar de uma grande estratégia para que um ex-presidente volte ao poder. Quem ganha com a queda do atual presidente? Claro, o ex-presidente, que levará meses para se tornar inelegível, com a nossa lenta Justiça. Se o atual presidente “cair”, haverá eleições diretas em 30 dias. Quem vai ser um dos candidatos? O que já foi presidente! Segundo o Datafolha, este ex-presidente encontra-se em primeiro lugar em todas as pesquisas realizadas. Já está em produção uma grande campanha.

O candidato que disputou (e perdeu) as eleições para a ex-presidenta (destituída do cargo), uma certa liderança política do estado de Minas Gerais, era a única liderança política capaz de competir com o ex-presidente que falam ser o candidato, mas já foi detonado na mesma delação dos irmãos Batista. Portanto, trata-se de uma estratégia clara e friamente calculada. Com o ex-presidente eleito, acaba-se a Lava Jato, adeus Polícia Federal, adeus o juiz Sérgio Moro, adeus (ainda frágil) Democracia Brasileira, porque o comunismo/populismo, grande projeto do partido político, já estará a caminho. Portanto, acredita-se que, dentro do que se apregoa, seja mais uma arapuca para derrubar o atual presidente e eleger um ex-presidente para o cargo.

Mas ainda não acabamos.

Como nossa política está atualmente muito “dinâmica”, o “grande”, senador do estado das Alagoas foi destituído do cargo de líder do PMDB no Senado (ele diz que foi ele que deixou a liderança do partido) por divergências com o atual presidente da República. Quando perdeu o cargo de presidente do Senado, quase perde também os cabelos implantados (há pouco tempo) da cabeça e, agora, vai perder tudo, deixando a liderança do PMDB. Tornou-se ser um simples Senador. Ele detesta ser um “simples senador”. Está soltando fogo por tudo que é buraco.

O que complica mais ainda o país são as divergências ao nível do Poder Judiciário, onde vários ministros tentam se entender, mas não conseguem.

Isso tudo implica em que? Esquecerem completamente o povo brasileiro.

Mas, pra não dizer que não falei de flores: a inflação atual é a mais baixa desde 2005. Não por méritos do ministro da economia, mas porque o povo não tem mais dinheiro suficiente para comprar e, por isso, os comerciantes estão baixando o preço dos seus produtos.

Já que deixei aqui meu último comentário sobre essa nojeira, no próximo texto falarei de algo mais importante e proveitoso: sobre enfermidades, no sentido de preveni-las ou trata-las.

É mais eficaz. É melhor para o nosso organismo e para o nosso espírito. Deus salve o Brasil!

Cadmo Wanderley

Print Friendly, PDF & Email
Em cumprimento à Legislação Eleitoral, o portal Folha Patoense não publicará os comentários dos leitores. Voltaremos ao normal logo após o período eleitoral.