Início Osteoporose – O quê as pessoas devem saber

Osteoporose – O quê as pessoas devem saber

Desde o início do meu compromisso como cronista da Folha Patoense, embora sendo médico, nunca, em meus textos, tinha me referido a enfermidades. Acontece que a nefasta política e outros acontecimentos degradantes do cotidiano brasileiros, que vão surgindo no cenário nacional, estão nos impedindo de ajudar as pessoas neste sentido.

Vamos fazer uma pausa e tentar ajudar mais as pessoas.

Dentre muitas enfermidades, existem umas que merecem ser citadas porque existe prevenção para que elas não venham atormentar a vidas das pessoas, principalmente a das mulheres.

Uma delas é a Osteoporose.

Osteoporose nada mais é do que uma desmineralização (perda de cálcio) óssea difusa dos ossos, principalmente da Coluna Lombar e do Colo do Fêmur (extremidade proximal do fêmur), locais preferidos dessa enfermidade.
A Osteoporose ocorre com o decorrer dos anos, quando a pessoa vai adquirindo mais idade, e, consequentemente, vai “perdendo” mais cálcio.

Antes de escrever sobre esta enfermidade, quero fazer um breve comentário sobre a nossa estrutura óssea.
Primeiro, quero dizer que nossa estrutura óssea se trata de uma máquina (quase) perfeita. O esqueleto humano é leve o suficiente para garantir a mobilidade e, ao mesmo tempo, forte para suportar um impacto e garantir o bom funcionamento dessa estrutura orgânica. Mas, para isso, é preciso uma alimentação balanceada e uma atividade física regular.

Cada um de nós possui um total 206 ossos.

A função do esqueleto é sustentar o nosso corpo, proteger nossos órgãos internos e oferecer uma boa estrutura para os músculos. Sem esqueleto (ou ossos) e sem musculatura, seríamos criaturas flácidas e indefesas, que não conseguiriam nem se por de pé. Seríamos como lesmas.

Como nosso sistema musculoesquelético é constituído basicamente por ossos, músculos, tendões e ligamentos, nós podemos executar ordens variadas emanadas do nosso cérebro, desde colocar uma linha no fundo de uma agulha até construir uma aeronave.

Mal comparando, os ossos estão preparados para resistir a movimentos bruscos e fortes, porque possui uma arquitetura interna constituída por fibras de colágeno e cristais salinos que se entrelaçam para formar algo semelhante à estrutura de um edifício. As fibras de colágeno seriam as barras de ferro e os cristais salinos (ou cristais de hidroxiapatita) seriam o cimento. Os cristais de hidroxiapatita são tão resistentes quanto o mármore, garantindo às peças esqueléticas uma resistência à compressão igual à do concreto armado.

Na parte central do osso existe a medula óssea, que é uma substância menos densa onde se localizam as células especializadas em uma função: a produção do nosso sangue.

É importante salientar que os ossos estão em constante processo de regeneração/renovação, onde o osso “velho” é digerido por células chamadas de osteoclastos. Terminada a tarefa dos osteoclastos, vêm os osteoblastos que têm a função de reconstituir o tecido ósseo digerido ou eliminado, sempre de forma equivalente: o que foi digerido é o que será substituído, ou seja, sempre teremos a mesma quantidade de osso no nosso corpo.

Na maioria das vezes, a osteoporose é uma enfermidade silenciosa e se desenvolve ao longo do tempo, geralmente em decorrência de maus hábitos alimentares, vícios, principalmente a falta de cálcio na alimentação e, consequentemente, no organismo, e, também, com o envelhecimento do corpo, como já frisamos acima.

Pesquisas demonstram que poucos médicos investigam o/a paciente com osteoporose antes de prescrever o tratamento, admitindo que os mesmos apresentam Osteoporose Primária, ou seja, decorrente do desuso (nos casos de fratura óssea de recuperação lenta), da Menopausa ou do Envelhecimento.

Desta maneira, muitas vezes, a Osteoporose Secundária não é diagnosticada.

Osteoporose Secundária se refere ao tipo de Osteoporose causada por uma doença associada, uma alteração ou por medicação específica. 90% das Osteoporoses em Pacientes Jovens são provenientes de Causa Secundária (Osteoporose de Causa Secundária).

Existem causas variadas de Osteoporose de Causa Secundária, entre doenças e medicações.

Dentre elas, podemos citar:

Causas provenientes do mau funcionamento das glândulas, como a Tireoide, a Paratireoide, a Deficiência de Vitamina D, Ovários com mau funcionamento, Doenças Intestinais, Cirurgia Bariátrica, Doenças Hepáticas, Artrite Reumatoide (Doenças Reumáticas), Doenças do Sangue (Doenças Hematológicas) como o Mieloma Múltiplo, Diabetes Mellitus, uso de Corticoides, uso de Anticonvulsivantes, o uso de Antidepressivos, os fumantes e os etilistas. Principalmente estas causas.

A maioria das causas de Osteoporose Secundária pode ser afastada através de uma história clínica bem detalhada sobre doenças e o suposto uso de medicamentos. Além disso, devemos levar em conta as condições de hábitos de vida, como já escrevi acima, como o Tabagismo (cigarro), etilismo (uso de álcool), ingestão de leite e derivados e, principalmente, a atividade física.
Pela alta prevalência de Osteoporose Secundária e também pelo fato de que o tratamento de causas secundárias melhora a massa óssea, recomenda-se uma investigação básica de todos os pacientes com fraturas por Fragilidade ou com Densidade Mineral Óssea Reduzida.

Não existe uma regra de quais exames laboratoriais devam ser realizados/solicitados para um rastreamento de Causas Secundárias. Existem exames que podem afastar causas frequentes de Osteoporose. Pode ser solicitado o Cortisol Urinário para afastar doença de Cushing.

Dosagem de TSH para afastar o Hipertireoidismo, e podemos também solicitar as provas de atividades inflamatórias como o VSH (Velocidade de Hemossedimentação), ou seja, a velocidade com a qual os glóbulos vermelhos se separam do soro e se depositam.
Em pessoas idosas, com fratura da coluna vertebral ou Hipercalcemia, um exame de Eletroforese das Proteínas é indicado para afastar ou confirmar o Mieloma Múltiplo.

Pesquisa de Anticorpos para afastar a Doença Celíaca. Anti endomísio (pesquisa anticorpos IgA) é indicado, principalmente em pacientes com sintomas gastrointestinais e em mulheres jovens com fragilidade óssea, mesmo assintomáticas.
Nos pacientes jovens com Fragilidade Óssea Sem Causa Secundária Identificada, após todos os exames laboratoriais, está indicado o exame de Biópsia + Histomorfometria, para afastar Osteomalácia e avaliar a Microarquitetura e a Remodelação para que os ortopedistas/reumatologistas possam direcionar o tratamento.

Resumindo: Causas Secundárias de Osteoporose são comuns e precisam ser afastadas com uma história médica completa e exames laboratoriais básicos.

O julgamento clínico do médico e a disponibilidade dos exames mencionados determinarão a necessidade de investigação complementar para o rastreamento das causas secundárias.

Importante ressaltar que o não reconhecimento de uma Causa Secundária faz com que o tratamento instituído para a Osteoporose NÃO seja efetivo.

COMO RASTREAMENTO INICIAL, RECOMENDAMOS.

Dosagem de Cálcio Sérico à para afastar Hipercalcemia e Hiperparatireoidismo.

Dosagem do Fósforo à para afastar Osteomalácia.

Dosagem da Fosfatase Alcalina à para afastar Osteomalácia, Doença de Paget e Malignidade.

Hemograma à para afastar Anemia por Doença Crônica e Doença Hematológica.

Dosagem da Creatinina à Estimar a Taxa de Filtração Glomerular e afastar Insuficiência Renal Crônica.

25OH vitamina D à afastar Hipovitaminose D.

PTH à afastar Hiperparatireoidismo.

Testosterona em Homens à afastar Hipogonadismo.

Cálcio Urinário nas 24 horas à afastar Hipercalciúria.

Seria um texto longo, mas vamos nos deter mais numa das causas da Osteoporose produzida pelo uso indiscriminado do fumo, principalmente por mulheres.

O fumo é um dos principais fatores de risco para o desenvolvimento da Osteoporose. O principal fator é a Nicotina. A Nicotina faz com que as pacientes percam sua capacidade de reabsorção de cálcio e regeneração. A Nicotina, além de provocar a Osteoporose, é também cancerígena. A combinação café, cigarro e álcool aumenta o risco da pessoa de desenvolver Osteoporose. As toxinas do cigarro reduzem a velocidade de formação e reabsorção, o que atrapalha a reparação de qualquer fratura e consequente formação do calo ósseo, que nada mais é do que o novo tecido ósseo que vai se aglutinar para reparar a fratura. A Nicotina e outras substâncias encontradas no fumo (cigarro) reduzem a velocidade de formação e reabsorção do cálcio, e isto atrapalha a reparação do osso e mesmo a formação do calo ósseo, quando existe uma fratura associada. O Calo Ósseo nada mais é do que o tecido ósseo que vai se aglutinar para reparar a fratura.

Estas substâncias (cafeína, nicotina e o álcool) diminuem a formação óssea porque diminuem o número e a atividade das células denominadas osteoblastos, que são responsáveis pela formação do osso novo. Da mesma forma, estas drogas (cafeína, nicotina e álcool) aumentam também o número e a atividade dos osteoclastos, responsáveis pela reabsorção óssea. É bom que as pessoas também fiquem sabendo que estas substâncias também influenciam negativamente nos níveis dos hormônios sexuais, importantes na proteção do osso. Por exemplo: em mulheres na menopausa, estas substâncias diminuem a eficácia do tratamento da Reposição Hormonal no osso. Fumantes tendem a ingerir menos cálcio diariamente e apresentam níveis menores de Vitamina D se comparados aos não fumantes.

Estas eram as considerações que tinha a fazer sobre a Osteoporose.

Cadmo Wanderley – cadmowanderley@hotmail.com

Print Friendly, PDF & Email
Deixe seu comentário!