domingo, setembro 25, 2022
Início 2021

Arquivos

A vitória da infância: recreio de criança, sonho de campeão (texto de Edson de França)

Com quantos litros de suor se forja um campeão? Quanto de determinação, coragem, disposição de luta, disciplina, foco, tenacidade é preciso para ultrapassar todos...

A perversidade em marcha (texto de Edson de França)

Pensei primeiramente em abutres espreitando os olhos da presa que se desmilingua sob o sol causticante do deserto. Refleti um pouco para reconhecer que,...

Mãos que balançam berços (texto de Edson de França)

Como nascem as Academias ou entidades de qualquer coisa? Qual o processo de abertura, rituais para composição do quadro de membros, que critérios norteiam...

Sem ar, sem à tona (texto de Edson de França)

Desde que passei a me entender por gente até aos 13, 14 anos, passei muitos dias “procurando” respirar. Essa atividade involuntária e natural  para...

Bólidos ápteros (texto de Edson de França)

Tenho predileção por lembrar coisas boas. Faço-lhes reverências e, sempre que possível referências, o que é uma boa forma de espalhar sementes do bem...

Crônica – Marchinha pros línguas de graxa (texto de Edson de França)

Repartição é uma palavra antiga. O vocábulo “antanho”, como fazem uso os doutos, talvez lhe adjetivasse melhor. Quando penso na palavra, e no ambiente...

O telegrama persistente (texto de Edson de França)

Acesso o tube para ouvir algum som que enfeite o dia. Pesco lá no vasto menu uma canção aleatória. Patsy Cline, “Crazy”, cai bem....

Ninguém mais se chama Edson (texto de Edson de França)

O Edson mais jovem que conheci na vida era já um frangolão de uns 12, 13 anos - e isso já conta um bom...

A escola em tempos de pandemia (texto de Edson de França)

As rotinas que envolvem o ato de estudar compreendem, além do óbvio acesso à escola, a disciplina, a assiduidade, a disponibilidade, a curiosidade natural...

A prescrição do “potaciu” e o dia dos cornos (texto de Edson de França)

Constituíssemos nós um país mais sério e estaríamos a considerar certos episódios como inusitados. Algo que não passasse de uma piada bizarra ou mais...