Início Locais Farmacêuticos classificados vão ao MPPB e pedem para serem chamados pela Prefeitura...

Farmacêuticos classificados vão ao MPPB e pedem para serem chamados pela Prefeitura de Patos

Na manhã desta segunda-feira, 28, farmacêuticos classificados no concurso público de 2018 foram ao Ministério Público  da Paraíba (MPPB) pedir para serem convocados pela Prefeitura de Patos.

Eles alegam que Patos é uma cidade de grande porte, com mais de 100 mil habitantes, e precisam de profissionais para atuarem na assistência farmacêutica, pois os contratados são insuficientes e não dão conta das funções do farmacêutico, seja na UPA, no SAMU, no Complexo de Saúde Maria Marques e outros locais. “Vemos que em Patos tem vários pontos de acesso e necessidade da população, seja na orientação, acompanhamento farmacêutico e medicamentos. É necessário que se convoque no mínimo 30 classificados. O NASF não tem a presença de um farmacêutico, que também é necessário. As pessoas não estão sabendo usar medicamentos, não estão sabendo descartar medicamentos. Quem é o profissional que está fazendo pedidos de medicamentos na Prefeitura? Será que realmente está comprando da forma adequada? Como está sendo o armazenamento? Quem está organizando? Quem está vendo se as condições estão adequadas? Será que não está havendo desperdício de dinheiro público? Patos vai ganhar e muito tendo um quadro mínimo de farmacêuticos. Com pelo menos 30 profissionais vamos fortalecer a assistência farmacêutica e trazer benefícios em relação a otimização dos custos, que será muito bom para a Prefeitura e para a população, que terá acesso ao farmacêutico”, disse uma aprovada.

De acordo com eles, no Sagres está constando nove farmacêuticos contratados e alguns deles com escala dupla, totalizando 16 escalas. “Lá tem valores que variam muito e isso é até questionável. Valores entre R$ 1 mil e R$ 25 mil reais. Os valores dos nove farmacêuticos, com 16 escalas, totalizam mais de R$ 150 mil, então quantos farmacêuticos não dariam para serem pagos em benefício da população de Patos que teriam profissionais capacitados para cuidar da saúde, melhorando o sistema de saúde municipal? No edital, o salário está constando R$ 1.380 reais mais gratificações”, complementa a aprovada.

Eles chamaram atenção em relação ao Centro de Apoio ao Covid, onde há dispensação de medicamentos, mas é um ato obrigatório do farmacêutico e não está sendo colocado profissional nesse grupo. Já em relação à UPA do Campo da Liga, eles disseram que quatro farmacêuticos contratados tiram plantões extras para compensar a escala. “Como é que quatro farmacêuticos dão conta de mais de 600 horas no mês no âmbito emergencial?”, disse outra aprovada.

Folha Patoense – folhapatoense@gmail.com

Print Friendly, PDF & Email
Deixe seu comentário!