Bombeiros retomam buscas por corpo da menina Ana Sophia, em Bananeiras — Foto: Pedro Junior/TV Cabo Branco
Compartilhe!

Uma perícia realizada pelo Instituto de Polícia Científica (IPC) constatou que a ossada encontrada na região em que polícia e Corpo de Bombeiros buscam pelo corpo de Ana Sophia não é humana. Moradores da região acharam os ossos e acionaram as autoridades na quinta-feira (16). Menina que desapareceu no dia 4 de julho, no Distrito de Roma, em Bananeiras.

De acordo com o delegado Diógenes Fernandes, o material encontrado passou por uma perícia antropológica e o laudo atestou para ossada animal diversa da humana. O resultado foi divulgado nesta segunda-feira (20).

As buscas foram retomadas pelo Corpo de Bombeiros da Paraíba na terça-feira (14), na área em que o corpo de Tiago Fontes, único suspeito de matar a criança, foi encontrado no dia 9 de novembro.

Buscas pelo corpo de Ana Sophia

Desde terça-feira (14), a polícia retomou as buscas pelo corpo de Ana Sophia, após apresentar novas provas contra Tiago Fontes, único suspeito de ter cometido o crime contra a criança.

De acordo com o comandante do Corpo de Bombeiros em Guarabira, major Fernando, as buscas começaram pela área onde o corpo do suspeito foi encontrado pela possibilidade dele ter ocultado o corpo da menina no mesmo local.

O major Fernando informou ao g1 que nos próximos dias as buscas serão realizadas com foco nos locais levantados durante a investigação. “Como é uma área muito grande, devemos agir em locais que haja mais possibilidade de o corpo estar ocultado para nossas buscas serem mais eficientes”, afirmou o comandante.

Durante a coletiva de imprensa realizada pela Polícia Civil na manhã da quarta-feira (14), o delegado Aldrovilli Grisi informou que no dia do desaparecimento da menina o suspeito fez um desvio de rota durante a ida ao trabalho, coisa que não costumava fazer.

O comandante afirmou ao g1 que essa rota é o principal foco das buscas. “As estratégias são essas, analisar o que foi levantado na investigação da polícia civil e determinar as áreas de buscas”, informou.

As buscas contam com a equipe do Corpo de Bombeiros a pé, cães farejadores e o uso de drones para mapeamento da área.

A suspeita da equipe é que o corpo da menina esteja em uma local úmido, por causa das pesquisas que o homem realizou na internet sobre corpos em decomposição.

De acordo com o delegado Aldrovilli Grisi, Tiago Fontes arquitetou a morte e ocultação do corpo de Ana Sophia, e no dia do desaparecimento da menina ele saiu mais cedo do que o habitual para trabalhar e, nesse período, saiu para ocultar o corpo de Ana Sophia.

A Polícia Civil suspeita que o homem ocultou o corpo de Ana Sophia em dois momentos, de forma provisória, e na janela de tempo em que saiu do trabalho para casa, num tempo de 1h52, ocultou o corpo da menina de forma definitiva.

O delegado Aldrovilli Grisi também explicou que Tiago Fontes pesquisou sobre vários casos de desaparecimentos de criança que envolvem morte e estupro.

G1 PB

Deixe seu comentário